PSICOTERAPIA

– O que é?
A psicoterapia é um recurso utilizado por psicólogos para auxiliar as pessoas a lidarem
com conflitos internos e externos, no enfrentamento das dificuldades impostas pela vida, na
compreensão das relações interpessoais, na busca do autoconhecimento, na qualidade de vida
e ampliação da consciência e consequente domínio da própria vida.
A psicoterapia possibilita ao indivíduo a descoberta de si mesmo, levando o paciente a
reconhecer suas características pessoais, identificando seus pensamentos e sentimentos,
refletindo sobre seus comportamentos, bem como as consequências destes em sua vida.
Durante esse processo são tratadas as angústias, anseios, desejos, medos, idéias e
dúvidas em um espaço livre para abordagem de assuntos diversos, reflexão, reconstrução e
amadurecimento de novas alternativas e possibilidades para que ocorra o desenvolviemtno
pessoal.
Cada pessoa terá seu processo individualizado, com técnicas e orientações específicas
para seu momento.
A psicoterapia é indicada para pessoas que enfrentam situações de conflito emocional,
patologias psíquicas ou ainda desejam conhecer-se profundamente.

– Alguns Benefícios da Psicoterapia:
 Identificação da habilidade de gestão emocional dos estados internos;
 Desenvolvimento da autonomia emocional;
 A capacidade de compreender o mundo e si mesmo, construindo novas formas
de lidar com as diversas situações da vida;
 Desenvolvimento de habilidades interpessoais como empatia, capacidade de
comunicação, assertividade, resolução de problemas, etc.
 Desenvolvimento da resiliência para aumentar a tolerância e a capacidade de
crescer com as dificuldades que a vida impõe.
– Alguns motivos que levam as pessoas à psicoterapia:
Dificuldades Emocionais, conflitos familiares, dificuldades nos relacionamentos
afetivos, questões sexuais, profissionais, estresse, dependência química,

depressão, fobias, síndrome do pânico, obesidade, transtornos alimentares, do
sono e do humor, ansiedade, perdas emocionais e materiais, auto estima baixa,
orientação vocacional, distúrbios de aprendizagem, pacientes oncológicos,
entre outros.
– Exemplos de dificuldades emocionais: Crise no casamento, dificuldades em tomar
decisões, traumas emocionais, dificuldades em lidar com pessoas, choro fácil,
sensibilidades e irritabilidades, dificuldade em namorar, dificuldade em decidir qual
carreira seguir, etc.
Exemplos de dificuldades comportamentais: Medo de falar em publico, explosões de
raiva, timidez, fobias, compulsão por comida, bebida ou drogas, etc.
Exemplos de dificuldades cognitivas: Pensamentos depressivos ou de morte, sensação
de estar sendo perseguido, ansiedade, etc.